terça-feira, 11 de setembro de 2018

SAÚDE - "PERDER PESO USANDO A INTELIGÊNCIA"





Nos dias atuais, perder peso não é uma tarefa simples.

“Há tanta comida saborosa, abundante e na sua cara o tempo todo. Para mim, é um milagre que as pessoas não estejam mais pesadas do que são”, opina o Dr. Meir Stampfer, professor de epidemiologia e nutrição da Universidade de Harvard (EUA).

Além da abundância de alimentos, a maioria das pessoas também tem um estilo de vida muito mais sedentário do que as gerações passadas. “Mesmo pessoas ativas que se exercitam bastante não gastam as mesmas calorias que seus ancestrais gastavam”, explica o professor.

Portanto, embora pareça fácil na teoria, reduzir a ingestão de calorias é um desafio na prática. Mais difícil ainda é manter essa perda, o que é particularmente verdadeiro para mulheres após a menopausa.

“Quando as pessoas envelhecem, torna-se mais complicado dissipar a energia dos alimentos. Elas precisam modificar seus hábitos alimentares, seguir padrões mais saudáveis. É um desafio mudar quaisquer hábitos”, esclarece o Dr. Lu Qi, também professor de nutrição de Harvard.

Hoje, comida não significa apenas sustento. Comer é uma fonte de gratificação; é uma atividade social; é uma recompensa.
É por isso que muitas dietas funcionam a curto prazo, mas falham ao longo do tempo. “Muitas dietas são uma mudança radical do que as pessoas normalmente comem, e isso não é sustentável”, defende Stampfer.

De pouco em pouco é que se chega longe. Confira algumas estratégias que podem ajudá-lo a eliminar o excesso de peso de maneira saudável :

Não faça dieta; melhore sua dieta

Não se concentre apenas na perda de peso. Foque na saúde em geral. Siga uma dieta rica em frutas, vegetais e gorduras saudáveis.

“Mesmo hoje, depois de todos os dados que temos, as pessoas ainda pensam que comer gordura as engorda e tentam encontrar produtos com baixo teor de gordura. Comer gordura não engorda. Há bons estudos que mostram que a ingestão de gorduras saudáveis ajuda as pessoas a controlarem seu peso melhor do que excluí-las da dieta”, esclarece Stampfer.

Acima de tudo, a escolha de uma dieta sustentável voltada para a saúde e não apenas para o peso pode ajudá-lo a obter melhorias duradouras. “Adote um regime saudável e coma um pouco menos”, sugere Stampfer.
Exercite-se regularmente

Esse é o conselho mais conhecido, mas não pode deixar de ser compartilhado. Aumentar o nível de atividade física pode ajudar a manter o peso. “Para a maioria das pessoas, o controle de peso a longo prazo é difícil sem alguma atividade física”, afirma Stampfer.

O metabolismo diminui com a idade, o que significa que você queima menos calorias para manter as funções básicas do corpo funcionando. Ao mesmo tempo, a massa óssea e muscular diminuem e a massa gorda aumenta. Esse padrão acontece naturalmente, a menos que você tome medidas para evitá-lo.

“Sou um forte defensor não só da atividade aeróbica, mas também da musculação e da ginástica calistênica. A construção muscular não só pode melhorar a taxa metabólica do seu corpo, como também trazer seus próprios benefícios de saúde distintos que muitas vezes não são tão bem apreciados quanto aqueles associados à atividade aeróbica”, explica.
Tente diferentes estratégias

Diferentes dietas funcionam para pessoas diferentes. Encontrar a estratégia certa para você depende de tentativa e erro.
Por exemplo, você pode experimentar uma abordagem promissora conhecida como “comer com atenção”. Isso significa que, toda vez que você for comer, deve parar tudo o que está fazendo e realmente se concentrar e desfrutar da sua comida.

“A evidência científica a meu ver é escassa, mas gosto do conceito. Todos já tivemos a experiência de comer um prato de algo e nem sequer lembrar de ter comido”, argumenta Stampfer.

Outro truque simples é soltar o garfo entre mordidas, em vez de segurá-lo nas mãos. 

Pequenas atitudes como essa fazem as pessoas comerem menos. Pesquise e dê uma chance a várias abordagens para saber qual combina com você !

Persevere

Todo mundo sabe que perder peso é realmente difícil. Simplesmente não desista. A cada dia, comprometa-se a comer um pouco menos.

Se você desviar do caminho, não se preocupe. Volte a se comprometer no dia seguinte e continue nele ao longo do tempo. 

O sucesso virá, a menos que você decida que falhou precocemente.

sexta-feira, 23 de março de 2018

ALERTA - "SEIS SINAIS EXTERNOS DE PROBLEMAS CARDÍACOS"






As doenças cardiovasculares são a principal causa de
morte no mundo todo.
Infelizmente, o primeiro sinal que muitas pessoas têm de que
seu coração não está em boas condições é quando sofrem um ataque cardíaco.
 De acordo com o Ministério da Saúde, no Brasil, 300 mil pessoas
sofrem infartos todos os anos. Em 30% dos casos,
 o ataque cardíaco é fatal.

Embora seja impossível detectar sozinho todos os alertas
que indicam que você tem um problema no coração, existem
alguns sinais visíveis e externos que podem prever um
futuro evento cardíaco.
Tenha em mente de que os sintomas da lista abaixo também
podem ter causas benignas. Se você estiver preocupado com
 sua saúde ou em dúvida, deve procurar um médico para
obter uma opinião especializada.

1. Sinais de Frank


Um desses indicadores externos é o aparecimento de pregas 
diagonais nos lóbulos das orelhas, conhecidas como “sinais de Frank”,
 em homenagem a Sanders Frank, o médico americano que as 
descreveu pela primeira vez.

Mais de 40 estudos científicos demonstraram que há uma associação
 entre essas pregas na orelha e o risco aumentado de aterosclerose,
uma doença em que placas se acumulam dentro das artérias.
Não está claro qual é a causa da associação, mas pode ser que
as duas condições tenham uma origem embriológica compartilhada.
Mais recentemente, algumas pesquisas notaram que estas
 pregas também podem ter ligação com doença cerebrovascular,
 uma condição que afeta os vasos sanguíneos no cérebro.

2. Xantomas


Outro indicador externo de problemas cardíacos são os xantomas, 
saliências gordurosas e amareladas que podem aparecer nos
 cotovelos, joelhos, nádegas ou pálpebras. São espécies de 
“tumores benignos”, ou seja, inofensivos, mas podem ser um 
sinal de problemas maiores.

Os xantomas são mais comumente vistos em pessoas com uma
doença genética chamada hipercolesterolemia familiar.
 Indivíduos com essa condição têm níveis excepcionalmente
altos de LDL (lipoproteína de baixa densidade), o chamado
 “colesterol ruim”. Os níveis deste colesterol são tão altos
 que se depositam na pele. Infelizmente, esses depósitos de
gordura também podem se acumular nas artérias que
suprem o coração.
O mecanismo que causa esses depósitos de gordura nos
tecidos ocupa um lugar icônico na medicina, pois levou
ao desenvolvimento de um dos grupos de drogas que
reduzem o colesterol: as estatinas.

3. Hipocratismo digital


Um fenômeno conhecido como hipocratismo ou baqueteamento
 digital também pode ser um sinal de que nem tudo está
 bem com o seu coração.

Nele, as unhas mudam de forma, tornando-se mais grossas e
 largas, devido à produção de mais tecido.
A mudança geralmente é indolor e acontece nas duas mãos.
 Isso pode ocorrer porque o sangue oxigenado não
atinge os dedos adequadamente, de forma que células
produzem um “fator” que promove o crescimento
para tentar corrigir o problema.
Esse sintoma médico foi descrito pela primeira vez por
Hipócrates, no século V aC. É por isso que é às vezes
 chamado de “dedos hipocráticos”.

4. Arcos senis


Depósitos de gordura nos olhos, chamados de “arcos senis”, 
também podem podem indicar problemas cardíacos.

Esses arcos começam na parte superior e inferior da íris,
até progredir para formar um anel completo.
Não interferem na visão.
Cerca de 45% das pessoas com mais de 40 anos têm esse halo de 
gordura ao redor da íris, aumentando para cerca de 70% nas 
pessoas com mais de 60 anos.
A presença desse anel gorduroso tem sido associada a alguns dos 
fatores de risco para doença coronariana.

5. Dentes e gengivas podres


O estado da sua saúde bucal também pode ser um bom 
indicador do estado da sua saúde cardiovascular.

A boca é cheia de bactérias, boas e ruins. As bactérias “ruins”
podem entrar na corrente sanguínea pela boca e causar
inflamação nos vasos sanguíneos, o que por sua vez pode levar a doenças cardiovasculares.
Estudos mostraram que perda dentária e gengivas
 inflamadas (periodontite) são marcadores de doença cardíaca.

6. Lábios azuis


Outro indicador de saúde é a cor dos seus lábios.

Os lábios geralmente são vermelhos, mas podem assumir uma
coloração azulada (cianose) em pessoas com problemas cardíacos,
quando o sistema cardiovascular falha em liberar sangue
oxigenado para os tecidos.
Naturalmente, as pessoas também podem ficar com os lábios azuis
quando estão com muito frio ou em altitude elevada.
Nesses casos, a “boca roxa” provavelmente é devida a uma falta
temporária de oxigênio, e deve retornar ao normal rapidamente. 

https://hypescience.com

quarta-feira, 14 de março de 2018

PESQUISA - "JEJUM INTERMITENTE, A CURA"


Pesquisadores conseguiram reverter sintomas de diabetes e restaurar o funcionamento do pâncreas em ratos ao colocá-los em dietas que imitam o jejum. O estudo foi publicado na revista Cell de fevereiro de 2017.

Esta dieta que dura cinco dias por mês engana o corpo para que ele acredite que está em jejum, “reiniciando” as funções de alguns órgãos e restaurando a produção de insulina, dizem os cientistas.

A vantagem dessa dieta em relação ao jejum tradicional é que o corpo continua recebendo nutrientes, proteína e pequena quantidade de energia.

O estudo foi conduzido pelo pesquisador Valter Longo e sua equipe da Universidade do Sul da Califórnia. Vale lembrar que tanto a universidade quanto Longo são os fundadores do L-Nutra, empresa de produtos alimentares para essa dieta que imita o jejum.

No estudo, a equipe de pesquisadores observou que a dieta reverteu os sintomas dos dois tipos de diabetes em ratos. “Ao forçar o organismo do rato para um estado extremo e depois trazê-lo de volta, as células no pâncreas passam a se reprogramar”, afirma Longo.

Já nos seres humanos, segundo a equipe, esta dieta ajuda na perda de peso e na redução de problemas cardíacos, câncer e até os sintomas de Esclerose Múltipla.
Neste estudo mais recente, os ratos foram colocados na dieta especial por quatro dias a cada semana, por vários meses. 

O resultado observado foi que as células beta do pâncreas foram regeneradas, armazenando e liberando insulina de forma normal.
Os pesquisadores também simularam a dieta em células pancreáticas humanas de doadores com diabetes tipo II. Neste caso, o jejum simulado também causou a normalização da insulina e da proteína Ngn3, necessária para o funcionamento normal do pâncreas.

Apesar de oferecer ótimos resultados, não devemos nos precipitar. Por enquanto, os testes foram feitos apenas em ratos e em células humanas em laboratório, e os pesquisadores alertam as pessoas para que não tentem reproduzir esta dieta em casa para tratar o diabetes.

Esta dieta deve ser feita sob medida para as necessidades de cada paciente, para que o médico possa medir os níveis de calorias e tipos de alimentos que devem ser ingeridos.

A próxima etapa do estudo é realizar estudos em humanos. “O mais interessante é que esse sistema provavelmente sempre existiu.

 Agora que o descobrimos, podemos achar formas de trabalhar com ele e usá-lo para o benefício da saúde humana”, afirma o pesquisador.

segunda-feira, 12 de março de 2018

COMPORTAMENTO - "SUICÍDIO DE ADOLESCENTES DESPENCA DEPOIS DA LIBERAÇÃO DE CASAMENTO ENTRE PESSOAS DO MESMO SEXO NOS EUA"

A legalização do casamento de pessoas do mesmo sexo influencia diretamente na queda do suicídio entre adolescentes, segundo estudo recém-publicado. 

A última pesquisa que examina o impacto que a política tem na saúde de jovens descobriu que os efeitos não são apenas observados entre aqueles que se identificam como LGBTT, mas também nos adolescentes em geral.

O estudo foi publicado na revista JAMA Pediatrics, e investigou como a legalização do casamento de pessoas do mesmo sexo em 32 dos 35 estados norte-americanos que reconhecem a união impactou nas taxas de suicídio de 760 mil alunos entre os anos de 1999 e 2015.

 O resultado foi comparado com os 15 estados que ainda não legalizaram o casamento.

A conclusão foi que a taxa de suicídio caiu 7% entre todos os alunos dos estados em que há legalização, e 14% entre os alunos LGBTT.

“Estes são alunos do Ensino Médio, eles não vão casar tão cedo, em sua maioria”, explica Julia Raifmann, a pesquisadora principal. “Ainda assim, o casamento do mesmo sexo reduz o estigma associado com a orientação sexual. 

Provavelmente está relacionado com os direitos iguais – mesmo que eles não tenham planos imediatos de usá-los – que faz os alunos sentirem-se menos estigmatizados e mais esperançosos em relação ao futuro”.

O suicídio é reconhecido como a ameaça mais significativa entre adolescentes, e atualmente é a segunda maior causa de morte entre pessoas entre 15 e 24 anos. O problema normalmente aumenta entre aqueles que se identificam como LGBTT.

 29% das tentativas de suicídio registradas em 2016 foram deste grupo, enquanto 6% foram entre adolescentes heterossexuais.
Acredita-se que as atitudes negativas dirigidas às pessoas LGBTT é o que causa este comportamento, colocando os adolescentes que assim se identificam em um perigo maior de sofrer violência do que quando comparado com adolescentes hétero.

 A violência inclui bullying e assédio e até ataques físicos. 

Jovens que vêm de famílias que os rejeitam são 8.4 vezes mais propensos a cometer suicídio do que aqueles que têm famílias que os aceitam.

É importante destacar o número de suicídios é mínimo quando comparado com o número de pessoas que têm sua qualidade de vida impactada pela violência e discriminação. Ou seja, a taxa de suicídios é apenas um termômetro para avaliar as consequências da intolerância para este grupo.

Enquanto houve uma diminuição clara na taxa de suicídio entre adolescentes nesses estados que legalizaram o casamento entre pessoas do mesmo sexo, os pesquisadores não sabem apontar exatamente se os resultados são causados pelas campanhas políticas que cercam a legalização ou pela lei em si.

“Podemos concordar que reduzir a taxa de tentativa de suicídio entre adolescentes é uma coisa boa, independente das nossas visões políticas. 

Os legisladores precisam entender que leis relacionadas aos direitos das minorias sexuais podem ter efeito real na saúde mental dos adolescentes. 

As políticas do topo podem ditar tanto de forma positiva quanto negativa o que acontece na base”, argumenta a pesquisadora. 


https://hypescience.com

PESQUISA - "PARKINSON E ALZHEIMER E O PAPEL DOS INTESTINOS"

Primeiro Parkinson, agora Alzheimer

Uma pesquisa feita na Universidade de Lund (Suécia) deu suporte à hipótese de que as bactérias intestinais aceleram o desenvolvimento da doença de Alzheimer.

conexão entre as bactérias intestinais e a doença de Parkinson já está bem estabelecida, o que levou os pesquisadores a estudar também a conexão com o Alzheimer - hoje já se sabe que o intestino parece formar um "segundo cérebro", tamanha é sua conexão com o sistema nervoso.

Como as nossas bactérias comensais têm um grande impacto sobre nossa saúde geral, sobretudo através de interações entre o sistema imunológico, a mucosa intestinal e a nossa dieta, a composição da microbiota intestinal passou a ser de grande interesse para as pesquisas sobre doenças neurológicas e neurodegenerativas.

A composição da nossa microbiota intestinal depende de quais bactérias recebemos no nascimento, dos nossos genes e da nossa dieta.

Bactérias intestinas e Alzheimer

Ao estudar camundongos saudáveis e doentes, os pesquisadores descobriram que os camundongos que sofrem de Alzheimer têm uma composição de bactérias intestinais diferente.

A equipe também estudou a doença de Alzheimer em camundongos completamente livres de bactérias, para testar ainda melhor a relação entre as bactérias intestinais e a doença.

 Os camundongos sem bactérias apresentaram uma quantidade significativamente menor de placas beta-amiloides no cérebro.

Para esclarecer a conexão entre a flora intestinal e a ocorrência da doença neurológica, os pesquisadores então transferiram bactérias intestinais de camundongos doentes para camundongos sem germes e constataram que estes últimos desenvolveram mais placas beta-amiloides no cérebro em comparação com o grupo que recebeu bactérias de animais saudáveis.

"Nosso estudo é único porque mostra um nexo causal direto entre as bactérias intestinais e a doença de Alzheimer. É marcante que os camundongos completamente livres de bactérias desenvolvam muito menos placas no cérebro," disse a pesquisadora Frida Fak Hallenius.

Dieta e probióticos

Os pesquisadores pretendem agora testar novos tipos de estratégias preventivas e terapêuticas contra o Alzheimer com base na modulação da microbiota intestinal através da dieta e de novos tipos de probióticos.

"Os resultados significam que agora podemos começar a pesquisar maneiras de prevenir a doença e retardar sua manifestação.

 Consideramos que este é um grande avanço, já que até agora só podemos administrar medicamentos antirretrovirais que aliviam os sintomas," finalizou Hallenius.

http://www.diariodasaude.com.br/

domingo, 11 de março de 2018

EPIGENÉTICA - "AMBIENTES NATURAIS MELHORAM A AUTO ESTIMA"


Já se sabia que o ambiente natural tem um efeito benéfico e a exposição a ambientes naturais também pode promover a imagem corporal positiva, que envolve o respeito pelo corpo e a rejeição de ideias rígidas em torno da própria aparência.

Isto ficou demonstrado em cinco experimentos separados realizados por pesquisadores da Universidade Anglia Ruskin (Reino Unido), Universidade Perdana (Malásia) e Universidade College de Londres.

Experimentos

Em três experimentos, usando diferentes estratégias e técnicas de medição, estudantes universitários observaram fotografias de ambientes naturais e construídos pelo homem e depois tiveram sua autoimagem corporal avaliada.

Os resultados mostraram que a exposição a imagens de ambientes naturais, mas não dos ambientes construídos, resultou em uma melhor imagem corporal - ou seja, talvez mudar alguns quadros em sua casa possa fazer a diferença.

Um quarto experimento envolveu membros do público que caminhavam por lazer em ambientes naturais e construídos, enquanto o experimento final envolveu participantes recrutados quando estavam entrando em um parque. Ambos os testes indicaram que passar um tempo em um ambiente natural resulta em uma valorização corporal significativamente maior do que em um ambiente construído.

Deslumbramento e pertencimento

"Há várias razões pelas quais a exposição à natureza pode ter esse efeito na imagem corporal positiva. Pode ser que ela distancie as pessoas, física e mentalmente, de situações focadas na aparência, que são uma das causas da imagem corporal negativa.

"Também é possível que a exposição a ambientes com profundidade e complexidade restrinjam os pensamentos negativos relacionados com a aparência.

 Mais especificamente, os ambientes naturais mantêm sua atenção sem esforço - um processo conhecido como 'fascínio suave'. Isso geralmente é acompanhado por sentimentos de prazer, como quando você é atraído pela visão do sol se pondo.

"Um ambiente que não exige atenção total pode proporcionar às pessoas uma quietude cognitiva, o que, por sua vez, pode favorecer a autocompaixão, como respeitar seu corpo e valorizá-lo como parte de um ecossistema mais amplo que requer proteção e cuidado.

"O acesso à natureza também pode significar que os indivíduos gastam mais tempo ao ar livre se envolvendo em atividades que focalizam a atenção na funcionalidade do corpo, em vez de na estética," comentou o professor Viren Swami, principal autor do estudo, publicado na revista Body Image.

EPIGENÉTICA - "POLUIÇÃO DO AR AUMENTA O CRIME"



As consequências da poluição do ar para a saúde são bem documentadas, mas será que um ar impuro também pode gerar variações de comportamento ?

É exatamente isso o que mostra um crescente número de pesquisas, que indicam, por exemplo, que a poluição aumenta a incidência de males sociais, incluindo taxas de criminalidade mais elevadas.

Para aferir esses resultados, a professora Julia Lee, da Universidade de Michigan (EUA), colocou sua equipe para fazer uma análise de longo prazo das estatísticas da poluição do ar e dos registros criminais. Para fundamentar suas hipóteses, a equipe idealizou também três experimentos em laboratório.

"Queríamos saber o que explica essa conexão entre poluição do ar e as atividades criminosas. Testamos a teoria de que o estresse e a ansiedade provocados pela poluição do ar são fatores contribuintes. Nossos resultados sustentam a afirmação de que a poluição do ar não só corrompe a saúde das pessoas, mas também pode contaminar sua moral," explicou Lee.

Os resultados indicam que a ansiedade causada pela exposição à poluição torna as pessoas mais propensas a trapaças e a comportamentos não-éticos. E isso pode ser uma das causas das taxas de criminalidade mais elevadas em áreas mais poluídas.

Ansiedade e trapaça

Inicialmente, os pesquisadores analisaram nove anos de dados de poluição atmosférica da Agência de Proteção Ambiental dos EUA e as estatísticas criminais do FBI. Altos níveis de poluição do ar em determinada área previram maiores incidentes de crime em quase todas as categorias, mesmo depois de serem descontados fatores como variáveis demográficas, níveis de aplicação da lei e taxas de pobreza.

A seguir, uma série de experimentos realizados nos Estados Unidos e na Índia identificaram uma conexão entre poluição, ansiedade e comportamento antiético. Uma vez que não é ético expor pessoas diretamente à poluição - embora outros cientistas tenham feito isso recentemente -, os testes mostraram imagens de cenas da cidade poluídas ou não poluídas. Os participantes deviam então descrever como eles viram essa área e refletir sobre como se sentiriam enquanto caminhavam nessa área e respiravam o ar.

As descrições escritas foram classificadas por codificadores em oito dimensões: angustiado, irritável, nervoso, assustado, entusiasmado, animado, feliz e relaxado.

Depois de descrever seus sentimentos, os voluntários passaram a completar tarefas - supostamente não relacionadas ao assunto - com pequenas recompensas financeiras para respostas corretas ou resultados bem-sucedidos. Em um experimento, eles foram informados de uma falha que permitia que descobrissem respostas corretas em um teste de associação de palavras, que fizeram a seguir. Em outro, eles receberam um jogo de dados e deviam relatar eles próprios os resultados, sendo que maiores pontuações resultavam em ganho de mais dinheiro.

Em cada estudo, os participantes que analisaram a foto poluída apresentaram maior probabilidade de expressar ansiedade e estresse em suas descrições e de trapacear no resultado dos dados.

"Os resultados nos provam que existe um custo ético para a poluição do ar," disse Lee.

"A poluição aumenta a ansiedade e isso leva ao comportamento antiético.

É um mecanismo da ciência comportamental que pode ajudar a explicar a conexão entre poluição do ar e maiores taxas de criminalidade."

O estudo será publicado na revista Psychological Science.

domingo, 12 de novembro de 2017

PESQUISA - "ALZHEIMER PODE SER TRANSMITIDO PELO SANGUE"



Ao longo dos anos, tem crescido entre os médicos, devido a observações episódicas, a suspeita de que a doença de Alzheimer  possa se propagar através de transfusões de sangue e dos equipamentos cirúrgicos, mas tem sido difícil documentar evidências definitivas de que isso aconteça de fato.

Agora, um experimento um tanto estranho conseguiu a confirmação de que a proteína mais associada ao Alzheimer - a beta-amiloide - pode se espalhar de um indivíduo para o outro e causar degeneração cerebral.

A demonstração foi possível graças a uma técnica chamada parabiose: a anexação cirúrgica de dois indivíduos - dois camundongos - para que eles compartilhassem o mesmo suprimento de sangue por vários meses.

Weihong Song e seus colegas da Universidade da Colúmbia Britânica (Canadá) juntaram camundongos normais, que não desenvolvem Alzheimer, a camundongos geneticamente modificados para carregar um gene humano mutante que produz altos níveis de amiloides beta.

Alzheimer transmissível

Os resultados não deixaram dúvidas: os camundongos normais, não predispostos ao Alzheimer, passaram a acumular a proteína em seus cérebros e apresentaram os mesmos déficits cognitivos dos seus companheiros geneticamente propensos à doença.

"Esta é a primeira vez que se constatou que a beta-amiloide entra no sangue e no cérebro de outro camundongo e causa sinais da doença de Alzheimer," disse Song.

Isso aumenta a suspeita da possibilidade de transmissão do Alzheimer - via transfusões ou equipamentos cirúrgicos - porque, além do cérebro, as proteínas amiloide-beta são produzidas nas plaquetas sanguíneas, nos vasos sanguíneos e até nos músculos, e sua proteína precursora é encontrada em vários outros órgãos.

"A barreira hematoencefálica enfraquece à medida que envelhecemos. Isso pode permitir que mais beta amiloide se infiltre no cérebro, complementando o que é produzido pelo próprio cérebro e acelerando a deterioração. A doença de Alzheimer é claramente uma doença do cérebro, mas precisamos prestar atenção ao corpo inteiro para entender de onde ela vem e como interrompê-la," concluiu Song.

Príons

Outro indício que apoia a ideia da transmissão da doença de Alzheimer é a doença de Creutzfeldt-Jacob o popular Mal da Vaca Louca - que também envolve o dobramento incorreto de proteínas e é transmissível.

Além disso, de acordo com a revista New Scientist, cerca de 50 anos atrás, dezenas de crianças com problemas de crescimento foram tratadas com hormônio do crescimento retirado de cadáveres. 

Muitas delas passaram a desenvolver Doença de Creutzfeldt-Jakob, já que esses cadáveres possuíam príons, moléculas infectantes capazes de modificar outras proteínas. 

E, décadas depois, exames post-mortem de algumas dessas pessoas também mostraram placas de Alzheimer, apesar de terem 51 anos ou menos de idade na época, uma idade muito precoce para Alzheimer.


Fonte Diário da Saude

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

FÍSICA QUÂNTICA - "OBSERVADORES; SOMOS DEUSES !"


Nossa capacidade de interagir com o ambiente em especial com a estrutura básica da matéria, o átomo e suas partículas, é absoluta e inequívoca ! 

Experiências reiteradas em laboratórios de física quântica como a experiência da dupla fenda, o colapso da função de onda, efeito zeno e em especial no Brasil com a cientista Gabriela Barreto Lemos da UFRJ manipulando fótons e provando a teoria das cordas, do entrelaçamento, unicidade e de outras infinitas dimensões nos deixam claro que nosso "olhar" interfere nos resultados destas experiências assim como afetam a dinâmica do que observamos !

Isto é ciência; factível e comprovada !

Mas quais são os caminhos, os fios invisíveis que tocamos e que possibilitam nossa interação e supremacia vibracional e intencional sobre absolutamente tudo aquilo que nos cerca ? 

Quem somos nós ? 

Nós sabemos tudo à nosso respeito ? 

Não!

Somos entidades quânticas/biológicas e nosso organismo através de interações sinérgicas/epigenéticas  possibilitam-nos infinitas possibilidades !

Pesquisadores encontram dentro dos cérebros de mães que geraram filhos, núcleos celulares dos fetos até dezessete anos depois do nascimento ! Estas células obedecendo a intenção materna de criar "vínculos fortes", rompem a intransponível barreira hematoencefálica bravamente e ali ficam, como parte do organismo da mãe !

Isto é incrível !

Hoje sabemos que células são minúsculas e eficientes estações receptoras e transmissoras de informações quânticas com o ambiente, e que lemos e somos lidos pelo Universo o tempo todo ! 

O próprio DNA é uma senoide, uma antena que vibra à 3 milhões por segundo em linguagem binária como os computadores.

Assim sendo, mães desenvolvem um sistema de comunicação quântica com filhos, sejam quantos forem e onde estiverem, em minha opinião, pelo resto da vida.

Mães sabem disto !

O epitélio de revestimento de nossa árvore respiratória ao expirarmos solta no ambiente células que são absorvidas por todos que estão em volta. Você sai de um coletivo ou de um grande evento diferente do que entrou, você sai "conectado" com todos !

Biologicamente e quânticamente somos todos UM SÓ !

Nosso próprio sistema límbico que é formado por múltiplas regiões do cérebro, transforma oque "olhamos" ou percebemos como positivo ou negativo no ambiente, em neuro peptídeos que afetam nossas células e a produção de hormônios nocivos ou benignos !

Nossos glóbulos brancos, que fazem parte do sistema imunológico, produzem neuro transmissores que avaliam  via "wi-fi" a nossa qualidade de vibração mental, para modular nossas defesas naturais. 

São chamados de "nosso cérebro circulante", altamente eficientes e práticos, mas completamente dependentes de nossa  estabilidade psíquica !

Se em algum momento da vida você se perde emocionalmente e diz : "nem sei mais quem sou" e se isto coincidir com a replicação celular de um órgão de choque, as células ali também não saberão mais quem são e irá surgir uma neoplasia !

Nossa saúde ou nosso sistema imunológico depende de nossos "olhos", e da forma como enxergamos a vida e seus desafios !

(São os teus olhos a luz do teu corpo; se teus olhos forem humildes, todo o teu corpo será cheio de luz. Porém se teus olhos forem malignos, todo o teu corpo estará tomado pelas trevas. Lucas 11:34-36)

Jesus falava de física quântica !

Todas as pessoas que já passaram pelas nossas vidas, aquelas com quem fizemos sexo, compartilhamos escovas de dente, dormimos e comemos juntos, criamos laços afetivos em algum momento de nossas vidas e que hoje se foram, levam em seus corpos informações biológicas e epigenéticas nossas !

 Assim como somos um pouco de absolutamente todas as pessoas com quem interagimos em nossas vidas. 

Você aceitando isto ou não !

Porquê amigos de escola vivem em nossas mentes e corações de forma tão indelével e amorosa ? Colegas de trabalho ? Nosso primeiro amor...?

Porquê estivemos juntos por um longo tempo. Biologicamente compartilhamos informações, e isto é divino ! 

Abençoar pessoas que passaram pelas nossas vidas é uma forma de nos abençoar perante o Campo Quântico Humano. O campo morfogenético que guarda nossas informações biológicas e vibracionais enquanto humanos, aprimora-se cada vez mais quando enxergamos nosso iguais com amor e empatia, com aceitação e gratidão !

 A Física Quântica e a física clássica entendem o Big Bang como o início de tudo, a origem de nosso Universo e energia primeva que nos mantem em expansão até hoje ! 

Assim sendo levando-se em consideração as reiteradas experiências científicas que comprovam  a sinergia de partículas que já tiveram uma relação qualquer, somos todos conectados com todos e com o próprio Universo. 

Não existe atitude  individual alguma que passe despercebida ou que não module a energia compartilhada. Somos entidades biológicas, quânticas e vibracionais que modulam o mecanismo do próprio Universo, que é auto consciente através de nós. Isto tem que ser contado para todas as pessoas do mundo !

Nós não estamos no Universo, nós SOMOS o Universo. 

Medite sobre isto, assuma sua responsabilidade !

Em suma, ao observar uma situação, um experimento,  uma pessoa ou o próprio mundo; alteramos a realidade observada porquê não estamos separados; a situação, o experimento, a pessoa ou o próprio mundo somos nós !

Co-crie com amor, com responsabilidade e retidão. Nós criamos e estabelecemos a realidade à todo instante !

 Ame o próximo como à ti mesmo !

Mude o mundo; transforme nossa realidade, conecte-se !



Miguel Galli



sábado, 9 de setembro de 2017

CIÊNCIA - "SE O UNIVERSO VEIO DO NADA, ENTÃO OQUE É O NADA ?"



Existe algum lugar no Universo onde não há realmente NADA ? O que há nas lacunas entre as estrelas e as galáxias ? Ou nas lacunas entre os átomos ? Quais são as propriedades do 'nada' ?

Pare o que estiver fazendo agora, e pense no "nada". Feche os olhos. Imagine-o em sua mente. Concentre-se. Focooo ! Obrigado, de nada ... É muito difícil, não é ?
Agora, vamos considerar apenas os vastos espaços entre estrelas e galáxias, ou os espaços entre átomos e outras partículas microscópicas. Quando falamos do nada nas vastas extensões entre o espaço, não existe realmente e tecnicamente o nada. Entendeu ? Quando falamos de espaço não existe o nada. Há sim... alguma coisa lá.
Mesmo nos abismos do espaço intergaláctico, há centenas ou milhares de partículas em cada metro cúbico. Mas mesmo se você puder alugar um super aspirador de pó intergalático e aspirar essas partículas, ainda haveria comprimentos de onda de radiação, que se estendem por vastas distâncias do espaço.
Há o alcance inevitável de gravidade que se estende por todo o Universo. Também há um fraco campo magnético de um quasar distante. É infinitamente fraco, mas não é nada, mas ainda é alguma coisa.
Filósofos, e alguns físicos, argumentam que o "nada" físico não é o mesmo que o nada "real". Diferentes físicos vêem coisas diferentes desse "nada", como o vácuo clássico e ideia de nada como potencial indiferenciado.
Mesmo que você possa remover todas as partículas e escudos contra todos os campos elétricos e magnéticos, sua caixa ainda conteria gravidade, porque a gravidade nunca pode ser blindada ou cancelada. A gravidade não vai embora, é sempre atraente e você não pode fazer nada para bloqueá-la. Na física de Newton, a gravidade causa uma "força", mas na relatividade Geral de Einstein, a gravidade é a deformação do espaço-tempo. 
Então, imagine que você pudesse remover todas as partículas, energia, gravidade... tudo a partir de um sistema. Você iria ficar em um verdadeiro vácuo. Mesmo em seu nível de energia mais baixo, há flutuações no vácuo quântico do Universo. Há partículas quânticas estourando dentro e fora da existência em todo o Universo. Não há nada, em seguida, tudo estoura e então as partículas colidem e você fica com o "nada"  novamente. E assim, mesmo se você pudesse remover tudo do Universo, você ainda ficaria com essas flutuações quânticas incorporados no espaço-tempo. Além disso, existem coisas invisíveis chamadas de matéria escura ou energia escura, as quais nós não  conhecemos a fundo, só indiretamente.
Há físicos como Lawrence Krauss (foto) que discutem o "universo a partir do nada" e que realmente significa "o universo veio de uma potencialidade". Isso se resume a se adicionar toda a massa e energia do universo, toda a curvatura gravitacional, tudo... parece que todas as somas vão dar zero. Por isso, é possível que o Universo realmente veio do nada. E se esse é o caso, então o "nada" é tudo o que vemos ao nosso redor, e  o "tudo" não é nada. Calma! A física é assim mesmo, incrível ! Acostume-se. 

www.misteriosdouniverso.net/