quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

FÍSICA QUÂNTICA - " FORMAS DE VIDA DESCONHECIDAS DETECTADAS NO AMBIENTE POR LENTES ESPECIAIS "


Pesquisadores que procuram por evidência de antimatéria no Universo acreditam ter encontrado uma ‘forma de vida invisível’ no planeta, anteriormente desconhecida.
O grupo de pesquisadores que descobriu as misteriosas entidades trabalha para a corporação Thunder Energies, uma empresa envolvida com física nuclear, energia e equipamentos ópticos.  De acordo com eles, estas misteriosas entidades habitam a atmosfera da Terra.
A empresa é gerenciada pelo físico nuclear, diplomado na Havard, Dr. Ruggero Santilli.  O Dr. Santilli é considerado por muitos como perito em matemática e física, e já foi indicado para os Prêmios Nobel de Química e Física.  Ele desenvolveu um telescópio revolucionário, o qual foi projetado para encontrar luz antimatéria no Universo.  Ao contrário de telescópios refratores convencionais, que são feitos com lentes convexas, o telescópio de Santilli é feito com lentes côncavas.
De acordo com Santilli:
“Através do uso de telescópios com lentes côncavas, conhecidos como telescópios Santilli (marca e patente pendentes pela empresa pública estadunidense Thunder Energies Corporation), revisamos evidências da existência aparente de galáxias antimatéria, e raios cósmicos antimatéria.  Independentemente destas detecções astrofísicas, apresentamos pela primeira vez evidências da aparente existência de entidades em nosso ambiente terrestre, as quais são somente visíveis através de telescópios com lentes côncavas, enquanto são invisíveis aos nossos olhos e aos telescópios convencionais do tipo Galileu, com lentes convexas…”
O novo relatório, que foi publicado no American Journal of Modern Physics revelou a descoberta controversa, a qual sugere pela primeira vez a existência de entidades em nosso ambiente terrestre, as quais são invisíveis à olho nu e aos telescópios feitos de lentes convexas.
A detecção das entidades terrestres invisíveis foi publicada no trabalho intitulado:  Apparent Detection via New Telescopes with Concave Lenses of Otherwise Invisible Terrestrial Entities (ITE).
No estudo Santilli declara:
“Para sua grande surpresa, entidades não identificadas, porém claramente visíveis, imediatamente apareceram na tela da câmera acoplada ao telescópio Santilli, sem qualquer ampliação, sem que as mesmas entidades fossem visíveis a olho nu, e sem qualquer imagem correspondente existente na tela da câmera acoplada ao telescópio Galileu.  Esta descoberta inesperada disparou um novo uso sistemático dos telescópios Galileu e Santilli, desta vez para a procura de entidades, aqui chamadas de Invisible Terrestrial Entities – ITE (Entidades Terrestres Invisíveis), as quais são invisíveis aos nossos olhos, bem como aos instrumentos ópticos com lentes convexas, mas são de outra forma perfeitamente visíveis através dos telescópio Santilli com lentes côncavas, e estão localizadas em nosso ambiente terrestre.”
Uma primeira visão das Entidades Terrestres Invisíveis (ITE-1), foi detectada em duas fotos diferentes, em 5 de setembro de 2015, no céu noturno de Tampa Bay, Flórida, através e um par de telescópios Galileu e Santilli de 100mm, com uma câmera Sony SLT-A58K, ajustada com o ISO automático e uma exposição de 15 segundos.  A entidade é classificada como ISE-1, pois foi somente detectada no telescópio Santilli (assim emitindo luz com índice de refração negativa), e ela deixa uma imagem preta no fundo da câmera digital (assim emite luz com energia negativa).
Em observações posteriores, o Dr. Santilli identificou dois tipos diferentes de ITEs, reconhecendo que mais tipos de entidades podem ser identificadas no futuro.  Santilli declara que ambos os tipos de ITEs têm sido independentemente verificadas por colegas cientistas e suas existências foram confirmadas numa palestra no Clube de Astronomia de St. Petersburg, em 25 de setembro de 2015.
O primeiro tipo de ITE é definido pelo Dr. Santilli como entidades que:
  • Não são visíveis ao olho humano ou aos instrumentos ópticos convencionais com lentes convexas, mas são de outra forma completamente visíveis através de telescópios Santilli com lentes côncava;
  • Elas são visíveis em nosso ambiente terrestre, e não no espaço astrofísico profundo; e
  • Deixam ‘imagens pretas’ no fundo de câmeras digitais acopladas aos telescópios Santilli.
De acordo com relatórios, estas entidades se moviam lentamente e rotacionavam.  O Dr. Santilli declara que este tipo de movimento em particular exclui impurezas em seus telescópios, já que algumas pessoas especularam que estas entidades eram na verdade erros nas lentes dos telescópios, ou na câmera.
Santilli diz que a emissão da luz antimatéria não significa que a entidade seja feita de antimatéria, pois a existência de entidades dentro de nossa atmosfera implicaria numa explosão catastrófica, devido a aniquilação matéria-antimáteria.
Ele ainda escreve que:
“ITE-1 consiste em entidades-matéria em nosso ambiente terrestre, se locomovendo através da aquisição de antimatéria em seus interiores, com o consequente uso de propulsão matéria-antimatéria, e conseguem a invisibilidade através da emissão de luz antimatéria, como um tipo de exaustor.”
ITE-1
Santilli define o segundo tipo de entidade, ITE-2, como:
“Não visíveis ao olho humano ou aos instrumentos ópticos convencionais com lentes convexas, mas perfeitamente visíveis através de telescópios Santilli com lentes côncavas… Deixam ‘imagens claras’no fundo das câmeras digitais acopladas aos telescópios Santilli.”
Santilli continua seu estudo declarando:
“Consequentemente, tanto ITE-1 quanto ITE-2 possuem um índice negativo de refração quando propagam no meio da matéria, tal como vidro.  Sua diferença principal é que as primeiras entidades, também chamadas de ITEs escuras, carregam energia negativa, assim causando imagens pretas no fundo de uma câmera acoplada ao um Telescópio Santilli, enquanto as últimas, também chamadas de ITEs claras, carregam energia positiva, assim causando imagens claras, embora tenham um índice de refração negativo.”
O cientista declarou que as ITE-2 estavam se movendo e pulsando para frente e para trás quando foram vistas pelos telescópios Santilli, sugerindo que estavam “conduzindo uma vigilância não autorizada da área de Tampa… assim confirmando a necessidade de monitoramento sistemático de instalações civis, militares e industriais sensíveis.”
Para acessar a página em inglês sobre a descoberta, acesse o seguinte link: http://www.thunder-energies.com/docs/ITE-paper-12-15-15.pdf

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

PESQUISA - "PENSAMENTOS HUMANOS SÃO FEITOS DE MATÉRIA"

(CRIANDO, MANTENDO E MODIFICANDO A MATÉRIA)

Pesquisadores da Tomsk State University, na Rússia, e da New Bulgarian University, na Bulgária, afirmaram que pensamentos humanos são capazes de materializar um objeto.
Os resultados de seu estudo foram publicados na revista processamento Cognitive Processing.

Simulação mental

Os cientistas basearam sua pesquisa na ideia da chamada “simulação mental”, a fim de mostrar que o pensamento humano é material.
Eles queriam saber como o idioma influenciava a percepção do espaço, particularmente as dimensões essenciais “em cima-embaixo” e “esquerda-direita”.
“Queríamos verificar se o significado das palavras podia influenciar a simulação mental, isto é, a simulação da situação na cabeça”, disse Oksana Tsaregorodtseva, da Tomsk State University.
Na experiência, os pesquisadores pediram aos participantes para lembrar a localização do ponto no qual eles haviam escrito as palavras “para cima” ou “para baixo”. Os resultados indicam que a leitura das palavras ativou a representação do espaço designada por estas palavras, mesmo que no momento os participantes estivessem focados em outro processo, no caso, memorizar a localização dos pontos.
“A palavra é capaz de aumentar a sensação da realidade do objeto no espaço, não obstante o fato de que não existem objetos”, explicou Tsaregorodtseva.

Palavra = objeto

Pesquisas recentes nos mostram que a simulação mental não é muito diferente da realidade no que diz respeito à percepção do cérebro. Para nosso principal órgão, a situação real e a simulação são um único evento.
Experimentos realizados por outros cientistas na Europa sugerem que a mera tentativa de lembrar a posição espacial de um ponto na tela pode afetar a trajetória de nosso olhar.
Por exemplo, se uma pessoa memoriza a posição de um ponto como sendo no canto superior esquerdo da tela, e em seguida é convidada a olhar para cima em uma tela em branco, a trajetória do olhar centra-se no lado oposto ao do ponto anteriormente visto.
Este efeito é explicado pela simulação mental: a pessoa está ocupada memorizando a posição do ponto no cérebro, e essa memória é tão ativa que ela precisa “dar a volta” nesse obstáculo como se algo estivesse lá (ou seja, olhar para o lado oposto de um ponto inexistente em uma tela em branco, não havendo necessidade de se fazer isso).
A conclusão é de que as palavras, embora inerentemente intangíveis, desencadeiam a sensação de um objeto real no espaço.
O estudo ainda está em uma fase inicial, mas os cientistas especulam a aplicação dos seus resultados em neuropsicologia, por exemplo, para ajudar pessoas com percepção espacial prejudicada.

terça-feira, 29 de setembro de 2015

EPIGENÉTICA - "VOCÊ NÃO É SÓ VOCÊ"

(DNA DE VÁRIOS HUMANOS DENTRO DE VOCÊ)


É um fato bem estudado que não estamos sozinhos dentro de nossos corpos.
 Abrigamos, por exemplo, milhões de bactérias em nosso organismo que influenciam em diversas coisas, por exemplo, no nosso apetite.
No entanto, os cientistas estão começando a entender que podemos ter também, dentro de nós, DNA de outros humanos.
Não é ficção científica, nem filme de terror. De acordo com Peter Kramer, da Universidade de Pádua, na Itália, “diferentes indivíduos dentro de nós lutam por controle”. Isso significa que esse DNA estranho dentro de nós pode mudar nosso comportamento.
Kramer e sua colega Paola Bressan publicaram recentemente um artigo na revista Perspectives in Psychological Science sobre esse estranho fenômeno, chamado de microquimerismo (lembra da quimera, uma criatura mista que possui DNA de dois animais diferentes?). 
A ideia do texto é pedir que psicólogos e psiquiatras prestem mais atenção nas formas com que isso pode influenciar a nossa conduta.
Mas, questiona você, de onde vem esse DNA que “absorvemos”? Talvez de um gêmeo com quem você tenha compartilhado o útero, de um irmão mais velho que veio antes de você nesse útero, de sua mãe, ou, se você for mulher, de um filho.
Por exemplo, um estudo da Universidade de Alberta, no Canadá, descobriu que 63% das mulheres que tinham tido filhos abrigavam células masculinas em seus cérebros.
Foi descoberto também que este DNA estranho pode potencialmente influenciar qual mão é sua dominante, ou a propensão a desenvolver a doença de Alzheimer, por exemplo..

Muitos mistérios permanecem

Em uma pesquisa com mulheres dinamarquesas que tinham estado grávidas, epidemiologistas determinaram que os cromossomos Y “sobrados” no seu organismo melhoraram a saúde geral das participantes.
O que é mais estranho, no entanto, é que o microquimerismo de células masculinas em mulheres ocorreu mesmo quando elas nunca tinham dado à luz a um filho do sexo masculino – o DNA foi possivelmente transferido por um irmão mais velho ou até mesmo através do sexo com um homem.
Tudo isso nos mostra que o corpo humano está longe de ser fixado ao nascimento, e que se transforma com o tempo.
 Por enquanto, só estamos começando a compreender a extensão com que “incorporamos” DNA estranho, e como isso nos afeta.


terça-feira, 14 de julho de 2015

PESQUISA - "PARKINSON PODE TER ORIGEM INTESTINAL"

Origem do Parkinson
Embora o Mal de Parkinson seja uma das mais graves doenças neurodegenerativas, ela pode não se originar no cérebro, mas no trato gastrointestinal.
A conclusão é fruto de um grande levantamento epidemiológico feito por pesquisadores da Universidade Aarhus (Dinamarca).
Esta conclusão dá suporte a um estudo feito por pesquisadores suecos no ano passado, igualmente afirmando que o mal de Parkinson pode se originar no intestino, embora os pesquisadores dinamarqueses sugiram uma outra rota de migração da doença.
Partindo do trato gastrointestinal, sugerem eles, a doença de Parkinson chegaria ao cérebro por meio do nervo vago.
Nervo vago
"Nós fizemos um estudo dos registros médicos de quase 15.000 pacientes que tiveram seu nervo vago interrompido no estômago - entre 1970 e 1995 esse procedimento era um tratamento comum de úlceras," explica a pesquisadora Elisabeth Svensson, coordenadora do estudo.
"Se realmente é correto que a doença de Parkinson começa no intestino e se espalha através do nervo vago, então esses pacientes de vagotomia devem, naturalmente, estar protegidos contra o desenvolvimento da doença," prossegue ela.
E a hipótese se mostrou fortemente válida, com os pacientes sem a conexão do nervo vago apresentando apenas metade da chance de terem Parkinson no período de 20 anos após a cirurgia. Essa proteção não ocorreu nos pacientes com dano parcial no nervo vago.
"Pacientes com doença de Parkinson frequentemente ficam constipadas muitos anos antes que recebam o diagnóstico [da doença neurodegenerativa], o que pode ser um indicador precoce da ligação entre a patologia gastrointestinal e a patologia neurológica relacionada com o nervo vago," justifica a pesquisadora.
Mesmo caminho do Alzheimer
Curiosamente, o mesmo processo vem-se dando com outra importante doença crônica neurodegenerativa, o Mal de Alzheimer.
Algumas novas hipóteses apontam que as placas amiloides típicas do Alzheimer podem nascer no fígado, enquanto outros pesquisadores acreditam queAlzheimer e diabetes são a mesma doença.
Outra hipótese já largamente aceita é que as placas de beta-amiloide podem ser consequência, e não causa do Alzheimer.

www.diariodasaude.com.br

segunda-feira, 22 de junho de 2015

PESQUISA : "CONSIGA EMAGRECER COMENDO MENOS OU SUBINDO MONTANHAS"

(AVANTE !)

Segundo Aaron E. Carroll, professor de pediatria da Escola de Medicina da Universidade de Indiana (EUA), quando se trata de perder peso, comer menos é mais importante do que fazer atividade física. Pelo menos, é isso que os estudos mostram.
Isso não quer dizer que não devemos nos exercitar – o exercício faz muito bem para a saúde, no geral. Mas fechar a boca é mais eficiente quando se trata de derreter uns quilinhos.
É só fazer a seguinte reflexão: se uma pessoa acima do peso consome 1.000 calorias a mais do que queima por dia e busca um equilíbrio de energia, pode fazê-lo através do exercício ou da dieta. Enquanto trinta minutos de corrida ou natação pode queimar 350 calorias, a mesma redução de calorias pode ser alcançada eliminando 470 ml de refrigerante por dia. O que é mais fácil?

Dieta 1 x 0 Exercício

O exercício tem muitos benefícios, mas há problemas com contar com ele para controlar o peso. Carroll explica que, de 2001 a 2009, o percentual de pessoas suficientemente ativas fisicamente nos EUA tem aumentado, mas a porcentagem de americanos obesos não tem diminuído. Uma coisa não conseguiu impedir a outra.
Uma meta-análise de 2011 observou a relação entre atividade física e massa gorda nas crianças e descobriu que ser ativo provavelmente não é o fator determinante para saber se elas têm peso saudável.
Na população adulta, estudos também têm dificuldade em mostrar que uma pessoa fisicamente ativa tem menos probabilidade de ter excesso de peso do que uma pessoa sedentária. Além disso, estudos de balanço energético mostram que o gasto energético total e níveis de atividade física nos países em desenvolvimento e industrializados são semelhantes, tornando a atividade improvável de ser a causa das diferentes taxas de obesidade (sendo assim, pode ser a dieta, os fast foods, as porções gigantescas…).
Além disso, o exercício aumenta o apetite. Afinal, quando você queima calorias, seu corpo geralmente sinaliza para substituí-las. Pesquisas confirmam isso. Uma revisão sistemática de 2.012 estudos que analisou quão bem as pessoas seguiam programas de exercícios mostrou que, ao longo do tempo, elas acabam queimando menos energia do que o previsto e aumentando a sua ingestão calórica.
  • Papel pequeno na perda de peso
Outras alterações metabólicas podem anular os benefícios esperados de perda de peso a partir do exercício a longo prazo. Quando você perde peso, o metabolismo muitas vezes fica mais lento. A pesquisa mostra que a taxa metabólica de repouso em quem faz dieta diminui significativamente, independentemente da quantia de exercício físico feita. É por isso que a perda de peso pode parecer fácil quando você começa, mas torna-se mais difícil ao longo do tempo.
Isso não quer dizer que o exercício não ajude em nada na perda de peso. Muitos estudos mostram que a adição de uma rotina de exercícios à dieta pode ser benéfica.
Uma meta-análise publicada no ano passado mostrou que, longo prazo, os programas de gestão de peso que combinam exercício com dieta podem levar à perda de peso mais sustentada ao longo de um ano do que só fazer dieta. Ao longo de um período de seis meses, no entanto, a adição de exercício não fez diferença. Outra revisão sistemática de pesquisas encontrou resultados semelhantes, com dieta e exercício sendo uma combinação um pouco melhor do que somente dieta para a perda der peso.

Mudança gradual

Se você tem tempo para fazer uma hora ou mais de exercício físico por dia, também tem tempo para cozinhar ou preparar uma refeição caseira saudável – e, se o seu objeto for perder peso, você provavelmente terá resultados melhores com a dieta.
Carroll assume que não é fácil – nem manter uma dieta saudável, nem criar uma rotina de exercícios. Mas só com força de vontade se chega a algum lugar. O que é mais provável de funcionar é a mudança gradual, que lute contra um metabolismo desacelerando e o desejo de comer mais a fim de conquistar o peso ideal.
  • Sim ao exercício
Para perder peso, é melhor fechar a boca, mas isso não quer dizer que os exercícios não sirvam para nada. Eles têm grandes vantagens para a saúde, por exemplo, podem prevenir doenças musculoesqueléticas, cardiovasculares, pulmonares, neurológicas, diabetes e depressão.
Se, para você, fazer exercício é mais atraente do que comer menos, vá fundo. Você só terá a ganhar. Mas leve em conta que, infelizmente, essa não é a forma mais eficaz de escorrer os quilos a mais para fora do corpo. 


terça-feira, 16 de junho de 2015

EPIGENÉTICA - "O MÊS DO SEU NASCIMENTO E SUAS DOENÇAS CORRELATAS"


Cientistas encontraram uma relação consistente entre o mês de nascimento e o risco de doença de uma pessoa.
Longe das previsões da astrologia, a análise mostrou que a influência parece estar ligada às condições climáticas e ambientais de cada estação do ano.
Vários estudos já haviam apontado indícios dessa ligação entre mês de nascimento e saúde - sabe-se, por exemplo, que o mês do nascimento afeta o temperamento das pessoas - mas sempre houve críticas sobre as dimensões da amostra, que deveria ser grande o suficiente para ser estatisticamente significativa.
Por isso, os pesquisadores da Universidade de Colúmbia (EUA) usaram um novo algoritmo para analisar as bases de dados médicos da cidade de Nova Iorque.
Eles descobriram que nada menos do que 55 doenças se correlacionam com a estação de nascimento.
A boa notícia é que é possível contrabalançar os efeitos negativos da data de nascimento com mudanças de hábitos, cujos efeitos são maiores.
Meses e estações
É importante observar que todos os resultados dizem respeito ao hemisfério Norte, cujas estações são invertidas em relação ao hemisfério Sul.
No geral, o estudo indica que as pessoas nascidas em maio (meio da primavera no hemisfério Norte) têm o menor risco de doenças, e os nascidos em outubro (meio do outono) o maior risco de doenças.
"Estes dados podem ajudar os cientistas a descobrir novos fatores de risco das doenças," justifica o Dr. Nicholas Tatonetti, coordenador do trabalho.
A equipe planeja agora replicar a análise com dados de outros locais nos EUA e no exterior para ver como os resultados variam com a mudança das estações e com fatores ambientais nesses lugares.
Confirmada conexão entre 55 doenças e mês de nascimento
Algumas das 55 doenças que revelaram uma conexão com o mês de nascimento do paciente. [Imagem: Mary Regina Boland et al. - JAMIA]
55 doenças
A equipe comparou 1.688 doenças com as datas de nascimento e histórico médico de 1,7 milhão de pacientes atendidos no Hospital Presbiteriano de Nova Iorque entre 1985 e 2013.
A análise descartou mais de 1.600 associações, mas confirmou 39 ligações previamente relatadas na literatura médica. Também surgiram 16 novas associações, incluindo nove tipos de doença cardíaca, elevando para 55 o total de doenças para as quais há associações que não podem ser atribuídas ao acaso.
Pesquisas anteriores sobre doenças individuais, tais como asma e TDAH (hiperatividade), já haviam sugerido uma ligação com a estação de nascimento e incidência. Estas ligações foram confirmadas pelos novos dados.
Sem motivos para preocupação
O que mais chamou a atenção foi a conexão entre mês de nascimento e nove tipos de doenças cardíacas, uma das maiores causas de mortalidade nos países desenvolvidos.
As pessoas nascidas em março (fim do inverno) enfrentam o maior risco para a fibrilação atrial, insuficiência cardíaca congestiva e distúrbio da válvula mitral.
Mas parece não haver motivos para grandes preocupações, como alertam os próprios pesquisadores.
"É importante não ficar excessivamente nervoso sobre estes resultados, porque mesmo que tenhamos encontrado associações significativas, o risco global de doença não é tão grande," observa o Dr. Tatonetti. "O risco relacionado ao mês de nascimento é relativamente menor quando comparado a variáveis mais importantes, como a dieta e os exercícios físicos."
O estudo foi publicado no Journal of American Medical Informatics Association.

A seguir, confira algumas das doenças que podem se relacionar com o mês de nascimento:
Janeiro: hipertensão

Fevereiro: câncer de pulmão

Março: insuficiência cardíaca, arritmia, distúrbio da válvula mitral

Abril: angina
Maio: mês sem doenças associadas
Junho: angina severa
Julho: asma
Agosto: mês sem doenças associadas
Setembro: vômitos
Outubro: picadas de insetos, doenças sexualmente transmissíveis, infecções respiratórias
Novembro: não há risco aumentado de doenças; mas há menos chance que os demais de apresentar arritmia, distúrbio da válvula mitral, câncer de pulmão e TDAH.
Dezembro: hematomas

Fonte : www.diariodasaude.com.br

segunda-feira, 8 de junho de 2015

PESQUISA - "PASTILHAS EFERVESCENTES, INIMIGAS DO CORAÇÃO"



Pode parecer estranho, mas essas bolhas escondem mais riscos ao coração do que você imagina. Segundo um estudo publicado em janeiro no British Medical Journal, existe uma relação entre as pastilhas e infartos ou AVC. Os pesquisadores da Universidade Dundee analisaram exames médicos de 1,2 milhões de pacientes britânicos e descobriram que tomadores regulares de medicamentos efervescentes eram sete vezes mais propensos a desenvolver pressão alta ou hipertensão, além de correrem um risco 16% maior para eventos cardiovasculares, como infarto e AVC. O estudo analisou 24 diferentes remédios efervescentes, incluindo os principais analgésicos, como paracetamol e ácido acetilsalicílico, assim como suplementos. 

Essa relação acontece porque esses medicamentos possuem grandes quantidades de sódio. Segundo o estudo, algumas pastilhas de 69 mg a 415 mg de sódio -  aproximadamente um quinto de uma colher de chá. O consumo diário recomendado para um adulto é de 2000 mg a 2400 mg, equivalente a 6 gramas de sal.  

Olhando para esses números isoladamente, os medicamentos não parecem oferecer uma ameaça tão grande - afinal, seria necessário ingerir uma quantidade muito grande deles para chegar as recomendações diárias estipuladas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). No entanto, devemos pensar que esses remédios só agregam à lista de alimentos ricos em sódio que são ingeridos ao longo do dia, como refrigerantes outros industrializados. "Quando em excesso no organismo, o sódio fica acumulado no sangue em vez de ser absorvido pelas células, ocorrendo o que chamamos de desequilíbrio osmótico, já há maior concentração do mineral fora das células do que dentro delas", explica o cardiologista Luiz Ferlante, do Hospital Samaritano de São Paulo. Para equilibrar esses níveis, o corpo precisa de mais água circulando pelo sangue, reduzindo assim as concentrações de sódio. "A retenção de água faz o volume de sangue nas artérias aumentar, e por isso o coração precisa bombear mais sangue do que o normal, aumentando a pressão sanguínea", diz Luiz. Quando esse problema se torna crônico, temos a hipertensão arterial, que por si só aumenta o risco de diversas doenças cardiovasculares.

Caso você use medicamentos efervescentes de forma contínua, converse com o médico e discuta seus riscos. Se não, o ideal é não usar com frequência e sempre ficar atento à alimentação de forma geral.

Fonte : http://www.minhavida.com.br/

sábado, 30 de maio de 2015

ALERTA - "METAIS PESADOS E SEUS MALES"



O adjetivo "pesado" é literal, resultado de esses materiais serem mais densos - isto é, seus átomos ficam mais próximos uns dos outros. Para ter uma idéia, 1 centímetro cúbico de um metal considerado leve, como o magnésio, pesa 1,7 grama. Já 1 centímetro cúbico de qualquer metal pesado tem pelo menos 6 gramas. E onde entram os riscos para a saúde? Em contato com o organismo, esses metais acabam atraindo para si dois elementos essenciais do corpo: proteínas e enzimas. Eventualmente eles se unem a algumas delas, impedindo que funcionem - o que pode levar até à morte. "Os metais pesados também se ligam às paredes celulares, dificultando o transporte de nutrientes", diz o químico Jorge Masini, da USP. Mesmo assim, o organismo também tem necessidade de pequenas quantidades de alguns desses metais. É o caso do cobre, que nos ajuda a absorver vitamina C. Em concentrações altas, porém, os mesmos metais são tóxicos.
Tríade inimiga Mercúrio, chumbo e cádmio são os metais mais perigosos
PULMÕES
Ficam inflamados em contato com o cádmio
FÍGADO E RINS
São os órgãos mais danificados pelo cádmio
MÃOS
Suas articulações - até as dos dedos e do pulso - ficam paralisadas por contaminação de chumbo
CÉREBRO
Ingerido em peixes contaminados, o mercúrio debilita as funções cerebrais. E o vapor do metal causa distúrbios psíquicos, como depressão
APARELHO DIGESTIVO
É atacado pelo chumbo e pelo cádmio
Males metálicosMetais pesados têm diferentes graus de toxicidade
Altamente tóxicos
Tóxicos, mas os riscos de contaminação se restringem a trabalhadores da indústria
Úteis para o organismo em pequenas quantidades, mas tóxicos em grandes quantidades
Não-tóxicos em pequenas quantidades, mas tóxicos em grandes quantidades
METAL - CÁDMIO (Cd)
DANOS AO ORGANISMO - Inflamação nos pulmões, problemas no fígado e nos rins
FORMAS DE CONTAMINAÇÃO - Fumaça de cigarro e alimentos preparados em vasilhas feitas com esse metal
METAL - CHUMBO (Pb)
DANOS AO ORGANISMO - Dores abdominais, distúrbios na visão, paralisia nas mãos
FORMAS DE CONTAMINAÇÃO - Tintas e alimentos contaminados por pesticidas à base do elemento
METAL - MERCÚRIO (Hg)
DANOS AO ORGANISMO - Perda da visão, debilitamento das funções cerebrais, coma
FORMAS DE CONTAMINAÇÃO - Ingestão de peixes contaminados e o vapor do metal
METAL - CROMO* (Cr)
DANOS AO ORGANISMO - Úlceras, inflamação nasal, câncer de pulmão
FORMAS DE CONTAMINAÇÃO - Contato com resíduos na indústria de curtição de couros
METAL - NÍQUEL (Ni)
DANOS AO ORGANISMO - Doenças respiratórias, alergias
FORMAS DE CONTAMINAÇÃO - Exposição a vapores do metal em indústrias metalúrgicas
METAL - PLATINA (Pt)
DANOS AO ORGANISMO - Urticária, problemas respiratórios
FORMAS DE CONTAMINAÇÃO - Contato com resíduos em fábricas que industrializam o metal
METAL - PRATA (Ag)
DANOS AO ORGANISMO - Dores abdominais, vômito e diarréia
FORMAS DE CONTAMINAÇÃO - Ingestão acidental em indústrias que trabalham com derivados do material
METAL - COBALTO (Co)
DANOS AO ORGANISMO - Problemas respiratórios, alergias
FORMAS DE CONTAMINAÇÃO - Contato com a poeira do metal em indústrias
METAL - COBRE (Cu)
DANOS AO ORGANISMO - Febre, náuseas, diarréia
FORMAS DE CONTAMINAÇÃO - Ingestão de água contaminada pelo metal presente em encanamentos
METAL - FERRO (Fe)
DANOS AO ORGANISMO - Vômitos, diarréias e problemas intestinais
FORMAS DE CONTAMINAÇÃO - Transfusões de sangue, excesso de ferro na alimentação
METAL - MANGANÊS (Mn)
DANOS AO ORGANISMO - Distúrbios neurológicos, como Mal de Parkinson
FORMAS DE CONTAMINAÇÃO - Inalação de poeira do material na indústria de mineração
METAL - ZINCO (Zn)
DANOS AO ORGANISMO - Tosse, febre, náusea, vômitos
FORMAS DE CONTAMINAÇÃO - Contato com resíduos de indústrias metalúrgicas
METAL - ESTANHO (Sn)
DANOS AO ORGANISMO - Náusea, vômito e diarréia
FORMAS DE CONTAMINAÇÃO - Resíduos do metal em comidas enlatadas
Fonte : Revista Mundo Estranho

sábado, 16 de maio de 2015

SAÚDE - "PORQUE DORMIR DO LADO ESQUERDO DO CORPO"



De qual lado do corpo você tem o hábito de dormir ? Direito ou esquerdo ? Ou você é mais uma das pessoas que prefere dormir de barriga para cima ? Especialistas advertem que o melhor lado para dormir é o esquerdo. A seguir, descubra o porque.

5 benefícios de dormir do lado esquerdo do corpo

Pode ser que o título desse artigo te surpreenda. Talvez você seja uma pessoa que, até o momento, não havia parado para pensar no fato de que Dormir em determinada posição pode ser mais ou menos benéfico para nosso corpo. Mas, ao que parece esse detalhe tem sim sua importância.

A realidade é que a medicina oriental já nos dizia a muito tempo que todos deveríamos dormir sobre o lado esquerdo do corpo. Um estudo recente publicado no The Journal of Flinical Gastroenterology demonstrou isto através de princípios simples, que o doutor John Doulliard nos explica para que entendamos melhor essa questão.
Nesse espaço, faremos um pequeno resumo desse estudo para que o coloquemos em prática, e temos certeza que te convencerá.


1. Favorece a drenagem linfática
O doutor Doulliard explica que dormir do lado esquerdo é agir da forma natural. Essa parte é o lado dominante do Sistema linfático é por esse lado que ocorrem drenagens, por onde a linfa transporta elementos importantes como as proteínas, glicose, metabolitos e elementos que devem ser filtrados pelos nódulos linfáticos e que devem ser conduzidos pela parte esquerda.
Assim, lembre-se que o primeiro princípio é precisamente devido ao nosso sistema linfático, que se beneficiará ao dormirmos desse lado.


2. Por razões anatômicas
Pode ser que agora você não se lembre, mas tanto o estômago quanto o Pâncreas situam-se do lado esquerdo do corpo. Se nos posicionamos desse lado para dormir favorecemos uma melhor digestão. Esse é um modo de canalizar melhor os sucos gástricos, também ajudando as enzimas pancreáticas a serem secretadas com facilidade. Tudo isso ocorre lentamente, e não de uma vez como, por exemplo, costuma ocorrer quando dormimos sobre a parte direita.


3. Para o bem-estar do coração
Surpreso (a)? Provavelmente sim. Esse estudo nos explica que mais de 80% do Coração encontra-se do lado esquerdo do corpo e que por meio do simples ato de dormir do lado esquerdo, favorecemos a saúde desse órgão de um modo simples e natural. Além disso, como já mencionamos, o sistema linfático faz a drenagem mais facilmente nessa posição.

Outro ponto a considerar é que a aorta sai do coração tomando uma forma arqueada para o lado esquerdo para chegar ao abdômen. Se dormirmos do lado esquerdo o coração bombeará o sangue de forma mais simples e eficaz, impulsionando-o mais facilmente.


4. Você costuma cochilar depois do almoço?
Se você costuma cochilar um pouco depois do almoço, principalmente quando come muito, então não se esqueça de fazer isso optando sempre por se deitar sob seu lado esquerdo. Dessa forma estará favorecendo a digestão e levantará mais relaxado e menos cansado, sem dor no estômago. Prove e verá como cai bem essa soneca pós almoço optando pelo lado esquerdo.


5. Pela saúde do baço
O baço, como se lembrará, também fica do lado esquerdo do corpo. Esse órgão também é parte básica do sistema linfático, necessário para filtrar o sangue e para executar uma ótima função linfática. Se dormirmos na parte esquerda do corpo faremos com que nossos fluidos se dirijam até o baço de uma forma mais simples, favorecendo o sentido natural da gravidade em nosso corpo. A maior parte de nosso sistema linfático executa suas tarefas desse lado do corpo.

Logo, você já sabe, por questão de saúde é sempre mais recomendável dormir do lado esquerdo. Que tal tentar esta noite ?


(http://melhorcomsaude.com/)