sábado, 22 de novembro de 2014

ALERTA - "ANSIOLÍTICOS, UMA ABORDAGEM ATUALIZADA"


A busca pela tranquilidade perdida através de medicamentos alopáticos, os conhecidos antidepressivos ou ansiolíticos, passa por caminhos perigosos e muitas vezes de difícil retorno !
Uma leitura atenciosa da bula de qualquer um deles, especificamente dos “Efeitos Colaterais” deveria ser um estímulo poderoso para uma mudança radical de foco ou a busca por amparo em tratamentos que não colocassem em risco a saúde mental e física do usuário, mesmo que isto soe como contrassenso, é um fato concreto e assustador.
E as notícias são cada vez piores!
Em recente investigação da Universidade Emory em Atlanta nos Estados Unidos, descobriu-se que o uso constante deste tipo de medicamento estreita perigosamente os vasos sanguíneos, notadamente a artéria carótida em até 5 % de sua espessura original. O estudo foi realizado com 500 americanos adultos que utilizavam antidepressivos diversos, demonstrando um alerta evidente para prováveis casos de AVC ou infarto do miocárdio, principalmente em homens sob tratamento antidepressivo com estas substâncias.
Os dados foram apresentados na reunião anual da American Cardiology Society de 2011 mas por motivos comerciais óbvios não teve a divulgação merecida. Em comunicado a imprensa, o líder do estudo Amit Shaha, explicou que a interação de duas substâncias químicas cerebrais, a serotonina e a noradrenalina com antidepressivos e ansiolíticos diversos causa esta constrição vascular, diminuindo o fluxo de sangue para os órgãos e elevando a pressão arterial, sendo alto o fator de risco para a aterosclerose.
Observa-se também o aumento de peso entre muitos usuários de antidepressivos, e nos indagamos com base neste estudo se todo o sistema linfático também não sofre com esta interação químico/hormonal, já que é uma delicada rede de vasos capilares, bem menores por natureza que veias e artérias, também afetadas.
Quando voltamos os olhos para crianças e adolescentes usuários destes medicamentos, os resultados são ainda mais assustadores. A Citizens Comission on Human Rights Internacional relata que a nível mundial:
- 20 Milhões de Crianças no Mundo tomam antidepressivos receitados pelo seu médico;
- A cada 8 horas nasce um bebê no mundo com defeitos ocasionados porque a mãe usava antidepressivos durante a gestação;
- Toda a semana uma criança entra em coma no mundo devido ao uso de psicotrópicos /drogas psiquiátricas;
- Todos os meses morrem no mundo 4 crianças em razão dos efeitos colaterais ocasionados pelas drogas psiquiátricas;
- No mundo, toda semana uma criança comete suicídio por efeito atribuído ao uso de antidepressivos.
Diante destes dados negativos todos, e outros estudos atuais alertando médicos e usuários que não caberiam em todas as páginas desta revista, torna-se urgentíssima a necessidade de divulgação dos resultados positivos com estes pacientes através do uso da terapia quântica frequencial, baseada em moduladores e biofatores de órgãos e sistemas humanos, funcionando como verdadeira biblioteca de informações disponíveis para o reequilíbrio fisiológico, mental, psicológico e emocional do organismo humano. 
Sem resíduos químicos, sem interações medicamentosas ou hormonais. A resposta positiva da reposição vibracional correta funciona em ressonância com as frequências originais do sistema nervoso central ou do cérebro e todas as suas regiões, varia em função da bio-receptividade individual, mas todos os resultados são felizes em seu objetivo de sanar a depressão, falta de motivação e síndromes mais complexas como bipolaridade, síndrome do pânico, TDAH ou outros transtornos de origem central.
É fundamental analisar todo o sistema digestivo do paciente, cada profissional dentro de sua abordagem específica. Pesquisas sobre o eixo cérebro-intestino mostram-se bastante promissoras e evoluem para uma comprovação definitiva desta interação. 

Sendo o intestino identificado atualmente como “nossa maior glândula endócrina”, e produtor de grande quantidade de neurotransmissores cerebrais, pode originar daí vários quadros de alterações emocionais e psicológicas. Cérebro e intestino estão biológica e quanticamente conectados e compartilham funções.
Dentre as muitas interações e sinergias conseguidas com biofatores, moduladores e indutores frequenciais, resultados excelentes tem sido obtidos com a nova linha “Fisiotox” na drenagem e reequilíbrio emocional e psicológico de pacientes, evidenciando Neurotox, Psicodren e Tonicotox.
Em nome de todos os amigos médicos, terapeutas e profissionais da área da saúde, nossa gratidão pela disponibilidade desta abordagem; revolucionária, limpa e providencial.


Miguel Galli

Fonte : Revista Saúde Quântica / http://www.revistasaudequantica.com.br/

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

CIÊNCIA - "O GRANDE MISTÉRIO DO ALINHAMENTO DE QUASARES"

( E agora ? )

Observações realizadas com o telescópio VLT, no Chile, revelaram alinhamentos nas maiores estruturas descobertas no Universo até hoje.
Os eixos de rotação dos buracos negros centrais supermassivos numa amostra de quasares encontram-se paralelos entre si ao longo de distâncias de bilhões de anos-luz.
A equipe descobriu também que os eixos de rotação destes quasares tendem a alinhar-se com as enormes estruturas da rede cósmica onde residem.
Os quasares são regiões compactas dos núcleos das galáxias onde existem buracos negros supermassivos muito ativos. Estes buracos negros encontram-se rodeados por discos de matéria extremamente quente, que é muitas vezes ejetada na direção dos seus eixos de rotação. Os quasares podem brilhar mais intensamente que todas as estrelas da galáxia onde se encontram.
"A primeira coisa estranha em que reparamos foi que alguns dos eixos de rotação dos quasares estavam alinhados uns com os outros - apesar destes quasares se encontrarem separados de bilhões de anos-luz", disse Damien Hutsemékers da Universidade de Liège, na Bélgica.
A equipe foi mais longe e descobriu que estes corpos celestes não se encontram uniformemente distribuídos, mas formam uma rede cósmica de filamentos e nós em torno de enormes vazios onde as galáxias são mais escassas.
Alinhamento cósmico
Os novos resultados do VLT indicam que os eixos de rotação dos quasares tendem a posicionar-se paralelamente às estruturas de larga escala nas quais se encontram, ou seja, se os quasares se encontram em um filamento comprido, a rotação dos seus buracos negros centrais apontarão na direção do filamento. Os pesquisadores estimam que a probabilidade destes alinhamentos serem simplesmente um resultado aleatório é menor que 1%.
"O alinhamento nos novos dados, em escalas ainda maiores do que as atuais previsões das simulações, poderá indicar que ainda falta um ingrediente nos nossos modelos do cosmos atuais", disse Dominique Sluse, coautor do estudo.
A equipe não conseguiu observar de forma direta os eixos de rotação ou os jatos dos quasares. Em vez disso, foi medida a polarização da radiação emitida por cada quasar e, para 19 deles, encontrou-se um sinal polarizado significativo. A direção desta polarização, combinada com outras informações, pôde ser utilizada para deduzir o ângulo do disco de acreção e consequentemente a direção do eixo de rotação do quasar.
"A correlação entre a orientação dos quasares e a estrutura a que pertencem é uma importante previsão dos modelos numéricos de evolução do Universo. Estes dados nos fornecem a primeira confirmação observacional deste efeito, em escalas muito maiores do que o que tem sido observado até hoje em galáxias normais", concluiu Sluse.
Bibliografia:

Alignment of quasar polarizations with large-scale structures
D. Hutsemékers, L. Braibant, V. Pelgrims, D. Sluse
Astronomy & Astrophysics
Vol.: Accepted paper
Fonte : http://www.inovacaotecnologica.com.br/

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

CIÊNCIA - "EFEITOS QUÂNTICOS PODEM SER RESULTADO DE MUNDOS PARALELOS INTERAGINDO"


Um físico químico da Universidade de Tecnologia do Texas, nos Estados Unidos, desenvolveu uma nova teoria da mecânica quântica que não apenas presume a existência de mundos paralelos, mas também que a sua interação mútua é o que dá origem a todos os efeitos quânticos observados na natureza.
A teoria, publicada pela primeira vez pelo professor Bill Poirier há quatro anos, tem atraído recentemente a atenção da comunidade da física fundamental, o que o levou a ser convidado a fazer um comentário na revista de “Physical Review X”.
Segundo a teoria de Poirier, a realidade quântica não é semelhante a ondas, mas é composta de vários mundos clássicos. Em cada um desses mundos, cada objeto tem atributos físicos muito definidos, tais como posição e momento. Dentro de um determinado mundo, os objetos interagem uns com os outros de forma clássica. Todos os efeitos quânticos, por outro lado, manifestam-se como interações entre mundos paralelos que estão “nas proximidades”.
A ideia de muitos mundos não é nova. Em 1957, Hugh Everett III publicou o que agora é chamada de interpretação de “Muitos Mundos” da mecânica quântica. “Mas na teoria de Everett, os mundos não são bem definidos”, assegura Poirier, “porque a matemática subjacente é a da teoria quântica padrão, baseada em ondas”.
Em contraste, na “Teoria dos Muitos Mundos Interagindo” de Poirier, os mundos são construídos na matemática desde o início. Será que isso prova algo definitivo sobre a natureza da realidade? “Ainda não”, disse Poirier. “Observações experimentais são o teste final de qualquer teoria. Até agora, a Muitos Mundos Interagindo faz as mesmas previsões que a teoria quântica padrão, então tudo que podemos dizer com certeza no momento é que ela pode estar correta”.
Poirier teve a ideia pela primeira vez de forma inesperada, na busca de um objetivo muito mais prático. “Eu não sentei um dia e disse ‘nossa, vou inventar uma nova interpretação quântica maluca com mundos paralelos’. Eu estava tentando desenvolver um método computacional eficiente usando algo chamado trajetórias quânticas, quando de repente me ocorreu que podemos obter tudo, desde as trajetórias (ou seja, os mundos próprios), sem realmente precisar de qualquer onda”
Poirier publicou tanto a nova matemática como a nova interpretação em um artigo na “Chemical Physics” em 2010, levando a uma colaboração com o matemático Jeremy Schiff na Universidade de Bar-Ilan, em Berlim. Esta, por sua vez, levou a uma publicação de 2012 no “Journal of Chemical Physics” que – com mais de 20 mil downloads – é um dos trabalhos mais baixados na história do periódico. Mais recentemente, o trabalho tem atraído a atenção da comunidade em geral. “Estamos muito satisfeitos que outros físicos e até mesmo filósofos estejam se envolvendo agora”, comemora Poirier.
Um destes pesquisadores é o físico australiano Howard Wiseman, da Universidade de Griffith, em Brisbane. “Estou muito feliz por ter conhecido Bill”, diz Wiseman, acrescentando que Poirier “pega literalmente essa ideia de que você tem um conjunto de partículas, ao invés de apenas um”. Wiseman e seus colegas de trabalho apresentaram recentemente o seu primeiro artigo sobre Muitos Mundos Interagindo para a “Physical Review X”, que foi publicado em conjunto com o comentário de Poirier. A abordagem de Wiseman é uma versão discreta, para a qual “existe um conjunto finito, mas extremamente grande de partículas… Bem, conjunto de mundos, devo dizer”, explica-se..
Em relação aos desenvolvimentos matemáticos no artigo de Wiseman, Poirier afirma: “Estas são grandes ideias – não apenas conceitualmente, mas também em relação aos novos avanços numéricos que quase certamente serão gerados. Nosso grupo ofereceu à comunidade da física fundamental uma nova interpretação da mecânica quântica; com efeito, eles retornaram o favor, oferecendo-nos um novo método computacional promissor”.