segunda-feira, 10 de maio de 2010

SAÚDE - "CITROTERAPIA"

(Citroterapia – Uso Terapêutico do Limão)

Em 1742 já se sabia que o suco de limão impede o desenvolvimento do escorbuto, doença debilitante que atormentava os marinheiros durante as longas viagens.
Porém, somente em 1928 os pesquisadores identificaram a substância responsável pelo combate à enfermidade: a vitamina C. O efeito anti-escorbuto deu origem ao nome científico da substância, ou seja, ácido ciscórbico.

Na condição de principal agente anti-oxidante hidrossolúvel do organismo, a vitamina C desobstrui as artérias, removendo as placas gordurosas os temidos ateromas. O limão fortalece o sistema imunológico, retarda o envelhecimento precoce, bloqueio os radicais livres, oferecendo, assim, proteção contra o câncer. No limão há uma substância antioxidante chamada limoneno que combate poderosamente os radicais livres, moléculas associadas ao envelhecimento precoce e a várias doenças.

O limão fortalece os copilares, vasos sangüíneos diminutos, e as paredes celulares, sendo agente essencial na formação do colágeno, proteína do tecido conjuntivo. Desta forma, ele previne equimoses, promove a cicatrização da pele e mantém fortes e sadios os tendões, que conectam o músculo ao osso, e os ligamentos, que conectam os ossos entre si.

O limão também favorece a produção de hemoglobina nas hemácias sangüíneas e auxilia o organismo a absorver o ferro dos alimentos. A vitamina C presente no limão oferece proteção contra o câncer e as doenças cardíacas.

Na prevenção de enfermidades e no combate às mesmas, o limão ocupa lugar primordial. Não há fruta que seja comparável a ele em aplicação medicinal. Riquíssimo em ácido cítrico, o limão é anti-séptico seguro e natural, que combate a fermentação gastro-intestinal, destruindo micróbios e criando ambiente invulnerável à ação dos germes. No âmbito das vitaminas, destaca-se a vitamina C, de que o limão é uma das principais fontes. No suco de dois limões são encontrados mais de 70 mg da vitamina, e a ingestão diária recomendada para homens e mulheres é de apenas 60 mg. A exceção são os fumantes, que precisam ingerir aproximadamente 100 mg diariamente. Ou seja, em condição normal, para suprir a necessidade diária de vitamina C, basta ingerir o suco de dois limões. Para combater enfermidades, é necessário consumir doses mais elevadas. Em alguns casos utiliza-se até 1 .000 mg/dia.

Analisando a química do limão, percebe-se a presença de ácido cítrico em sua composição. Não é um ácido comum, em estado livre. Se fosse assim, não poderia ser consumido. Os ácidos do limão cítrico, oxálico e málico encontram- se combinados com potássio, formando sais neutros. Pesquisadores do Instituto de Trofoterapia de Barcelona, Espanha, coordenados pelo professor Nicolas Capo, descobriram que as frutas ácidas, principalmente o limão, são alcalinizantes do sangue e da urina.

Há um consenso médico segundo o qual as doenças se desenvolvem somente em ambiente ácido. A enfermidade não prospera em sangue alcalino.
O consumo elevado de ovos, chocolate, carnes vermelhas, carne suína, refrigerantes artificiais, bebidas alcoólicas, frituras, maionese, catchup, açúcar, e outras substâncias da dieta moderna, comprovadamente eleva a acidez sangüínea. Desta forma, o organismo fica vulnerável a diversas patologias, inclusive neoplasias, ou seja, cânceres.

Pesquisadores importantes emitiram parecer sobre o uso medicinal do limão. Eis alguns exemplos tirados dos anais da história médica:
Embora seja ácido, o limão contém citrato de potássio, que no organismo se converte em carbonato de potássio, alcalinizando o sangue e a urina.
Quando se toma limão, o ácido cítrico nele contido, que é a essência do limão no seu aspecto de acidez, combina-se às bases, produzindo sais. De um alimento ácido, o organismo obtém elementos alcalinizantes de ordem superior.

O ácido cítrico do limão, transformado no organismo em citrato de sódio e em carbonatos alcalinos, exerce ação comparável à do bicarbonato de sódio, alcalinizando a urina e amenizando a hiperacidez do estômago após as refeições.
Graças à ação do ácido cítrico, o suco de limão favorece grandemente a fluidez do sangue. Combinado com sódio ou potássio, o ácido forma o citrato de sódio e o citrato de potássio, respectiva- mente. Estes sais vegetais alcalinos são considerados os melhores remédios contra a viscosidade sangüínea, enfermidade cuja cronicidade potencializa os riscos de doenças cardiovasculares.

E um erro pensar que o lirnão afina o sangue. Na verdade, ele elimina o excesso de viscosidade, oferecendo prevenção contra infartos e derrame cerebral.

Na terapêutica naturista, o limão ocupa lugar cada vez mais importante. Ele é o elixir da vida. Entre as várias propriedades da fruta, destaca-se a capacidade de eliminar o excesso de viscosidade no sangue. Esta propriedade foi descoberta recentemente. Pessoas com gangrena nos dedos dos pés e nas pernas, causadas por trombose arterial, obtêm resultados extraordinários ao submeterem-se a tratamento com limão.

Sem tratamento, o excesso de viscosidade no sangue produz várias enfermidades causadas pela má circulação. As mais comuns são resfriamento das extremidades, varizes, flebite, embolia e trombose. Nos casos de trombose e tumor, podem surgir gangrenas nas regiões onde o sangue deixa de circular.

O consumo excessivo de carne vermelha, chocolate, bebidas alcoólicas, sal, frituras, ovos, queijos, manteiga, requeijão e creme de leite, entre outros alimentos, efetivamente, aumenta a viscosidade sangüínea. Englobados pela proteína contida em excesso no sangue viscoso, os uratos de cálcio e magnésio acumulam-se, causando putrefação e inflamações locais. Os reflexos não tardam a manifestar- se, na forma de intoxicação dos nervos adjacentes, acompanhadas de dor aguda.

O limão neutraliza o ácido úrico, um dos principais causadores de artrite, reumatismo, gota e artrose. Estas enfermidades causam inflamação nas articulações do joelho, tornozelo, cotovelo, punho, dedos e na coluna vertebral. O ácido úrico é um ácido azotado eliminado do organismo através da urina, sendo o resultado final do metabolismo das proteínas. Em excesso, o ácido úrico forma grandes depósitos nas articulações causando inflamação local, ou forma cristais nas vias urinárias, conhecidas como cálculos renais. Pessoas que têm cálculos renais devem moderar o consumo de vitamina C. Um copo com 250 ml de suco de laranja fornece 124 mg de vitamina C, mais de duas vezes a ingestão diária recomendada.
A artrite crônica, conhecida como artrite deformante ou artrite reumatóide, que causa perda das funções por atrofia dos músculos em torno das articulações, pode ser tratada por meio da cura de limão com resultados expressivos. Uma das principais causas da inflamação nos articulações e atrofia dos músculos é a concentração exagerada de ácido úrico conseqüente da alimentação rica em proteína. Carnes e pescados são grandes fontes de proteína. No organismo a acidez do limão é transformada em substância alcalina que exerce ação inibidora sobre a acidez estomacal.

Durante a cura de limão, podem ocorrer dores articulares, erupções pruriginosos (urticária), diarréia, acne, diminuição da pressão arterial, ou outras disfunções. O paciente não deve interpretar estes sintomas como indícios de intolerâncio e desistir do tratamento. A cura deve ser suspensa somente se for constatada a existência de úlctro estomacal. Na gravidez ou durante o período menstrual não se deve fazer a cura de limão. Estudiosos em odontologia não recomendam tomar o suco de limão diretamente no copo, pois o esmalte dos dentes pode ser prejudicado. A alternativa consiste em ingerir o suco através de canudo.

Deve-se ingerir o suco puro (sem adição de água ou açúcar) nas primeiras horas do dia.

Um comentário:

  1. Amei...tenho tomado limãoes todos os dias em jejum...beijos

    ResponderExcluir